Você Tem Estudado da Forma Correta?

Há doze anos comecei a dar aulas de Direito, preparando alunos em diversas Instituições Oficiais para submeterem-se a concursos públicos de diversas carreiras jurídicas, tais como Magistratura, Ministério Público, Delegado de Polícia, Defensoria Pública e tantas outras.

Ao longo deste tempo, sempre me preocupei ao me deparar com algumas posturas que me faziam questionar se um ou outro candidato estava agindo de forma acertada. Percebia pessoas estudando por dez, doze, quatorze horas por dia, com curtos intervalos nas longas jornadas. Alguns até mesmo sem intervalo.

Presenciava as pessoas se afastando de seus familiares, amigos, cônjuges, filhos.

A vida social deixava de existir. Para muitos, até mesmo o controle da saúde se tornava algo secundário. Click To Tweet

Foi então que comecei a me interessar pelo assunto, por volta de 2005, quando iniciei minhas leituras sobre PNL (Programação Neurolinguística) e neurociência. Foram muitos livros e cursos, desde então, aprendendo um pouco sobre o ser humano em geral, sobre o aprendizado, sobre as relações humanas como um todo.

De forma paralela a este estudo, fui acompanhando as aprovações, os sucessos e as frustrações de milhares de alunos. Como se portavam aqueles que foram aprovados e que estavam vivendo de forma plena em suas funções? Como se comportavam aqueles que ainda não tinham sido aprovados? Ou ainda, os que embora aprovados não conseguiam viver com plenitude?

Em “O jeito Harvard de ser feliz“, Shaw Achor trabalha noções de Psicologia Positiva. Alguns dos principais pressupostos desenvolvidos são: a descoberta da felicidade, o seu benefício e a possibilidade de mudança.

Há quem possa pensar neste momento: “Ela está de brincadeira? – Eu preciso é passar!” Sim! Eu sei.

No entanto, vamos falar sobre prioridades. Sucesso antes e felicidade depois? É assim que você tem pensado? Pois se é, eu sinto em te dizer que essa fórmula não está correta. Ela está invertida.

Se considerarmos a nossa roda da vida, tão mencionada nos processos de Coaching, podemos perceber que ela se baseia em pilares. Se focamos única e exclusivamente em um, essa roda, definitivamente NÃO RODA.

A felicidade e o otimismo funcionam como engrenagens que fazem essa roda girar. Trata-se da roda da sua vida.

Você já se perguntou se ela está girando? E ainda: Ela está indo em qual direção?

Entenda: Não estou dizendo para você jogar seus livros para o alto e passar o dia assistindo TV. Não é disso que se trata. Mas eu queria que você pensasse em algumas perguntas que eu gostaria de te fazer neste momento:

Você tem dedicado tempo a se autoconhecer?

O autoconhecimento promove melhorias sensacionais no seu aprendizado. Você pode descobrir se é mais visual, auditivo ou sinestésico.

Entendendo seu canal preponderante de aprendizado, você pode focar nele e atingir resultados incríveis!

Você tem intervalado bem suas horas de estudo?

A fadiga mental pode dificultar a manutenção de atenção por um tempo muito longo.

Tem bebido muita água?

Ela aumenta a limpeza do organismo, promovendo as trocas iônicas das células neurônios e as células sanguíneas, melhorando a qualidade da memória, atenção e concentração.

Tem se exercitado?

Alguns me respondem que o tempo é para estudo. No entanto, o exercício físico ajuda a aliviar as tensões físicas e a adquirir um equilíbrio mental, fundamental para quem está estudando.

Você tem dedicado atenção a quem ama?

O aporte social nos ajuda a manter o equilíbrio emocional. Somo seres sociais. Nosso cérebro precisa perceber essa interação. Alguns momentos com quem amamos, principalmente se estamos nos dedicando a amar e servir, são estímulos fenomenais ao aprendizado eficaz.

Se você se afasta dos entes queridos, você compromete fortemente seus sistemas de apoio, dos quais tanto precisa.

Eu ainda poderia fazer várias outras perguntas, como faço aos meus clientes de Coaching para concursos ao longo das sessões, mas eu acredito que essas já tenham sido suficientes para um primeiro questionamento. Nós somos sistêmicos, somos razão e emoção. Para alcançar objetivos, precisamos estar com o nosso emocional e racional integrados.

Somente assim, somos capazes de chegar ao estado desejado, conseguindo identificar e eliminar os obstáculos de forma eficiente. Pense sobre isso…



Está estudando para OAB ou Concursos? Baixe gratuitamente um Ebook com os principais conceitos de Direito da Criança e do Adolescente:







Gostou? Deixe o Seu Comentário